ALAGOAS

Maceió avança à fase amarela e 20 municípios para a laranja a partir de segunda-feira (20)
Municípios da região Metropolitana de Maceió e da Região Norte evoluem para fase laranja; demais cidades alagoanas permanecem na fase vermelha




Governador Renan Filho apresentou análise epidemiológica à imprensa

A análise epidemiológica das duas últimas semanas da pandemia de Covid-19 em Alagoas aponta dados positivos para Maceió, região Metropolitana de Maceió e região Norte do estado. A capital entrará para a fase amarela do Distanciamento Social Controlado a partir desta segunda-feira (20), enquanto a região Metropolitana de Maceió e municípios da região Norte evoluem para a fase laranja. A decisão foi baseada na análise dos três eixos estratégicos que compõe a Matriz de Risco: utilização da capacidade hospitalar instalada, evolução epidemiológica e taxa de evolução da Covid-19. Os demais municípios do interior do estado seguem em isolamento social, na fase vermelha.

Conforme o decreto que será publicado ainda nesta terça-feira (14), estará permitido em Maceió, a partir da próxima segunda-feira, o funcionamento de todos os estabelecimentos das fases vermelha e laranja, além de bares e restaurantes com 50% da capacidade, shoppings centers, galerias, centros comerciais e congêneres, transportes intermunicipais e turísticos com 50% da capacidade, templos e igrejas com ampliação para 50% da capacidade, e lojas e estabelecimentos de rua acima de 400m2 – todos seguindo os protocolos sanitários estabelecidos pelo Estado.

Nos demais onze municípios da região Metropolitana de Maceió e nas nove cidades da região Litorânea Norte, que passam para a fase laranja, fica autorizada a reabertura de lojas de ruas com até 400m² (exceto shopping centers, galerias e centros comerciais); salões de beleza e barbearia com capacidade de atendimento reduzida em 50%; além de templos, igrejas e demais instituições religiosas com funcionamento reduzido para 30% de sua capacidade.

Ao apresentar os dados durante coletiva de imprensa nesta terça-feira (14), o governador Renan Filho ressaltou que os números atuais dos indicadores já permitem que sejam retomadas algumas atividades não essenciais em determinadas regiões do estado.

“De forma geral, estamos sentindo o arrefecimento da pandemia no estado como um todo. Verificamos semana a semana a redução do número de mortes, a redução do número de casos ativos e a redução do uso da capacidade hospitalar instalada. Apresentamos redução significativa na capital e na região Metropolitana, e na região Norte. Essas regiões vão avançar de faixa, Maceió para a fase amarela e região Metropolitana de Maceió e região Norte para a fase laranja, dando continuidade ao restabelecimento de atividades econômicas não essenciais”, afirmou.


O secretário da Saúde, Alexandre Ayres, destacou que Alagoas foi um dos primeiros estados a decretar medidas restritivas e um dos últimos a decidir a retomada da economia. Ele afirmou o Governo segue dando atenção às regiões que ainda estão na fase vermelha e reitera que Alagoas ainda vive um momento de pandemia, sendo, por isso, necessário que a população siga obedecendo as medidas de proteção até que se tenha, efetivamente, uma vacina eficaz.

“Alagoas tem dado ao Brasil uma demonstração de capacidade hospitalar, diferente de outros estados até mais desenvolvidos. Nos debruçamos em cima dos dados das últimas semanas epidemiológicas e estamos tomando decisões de maneira responsável e serena, mas é importante lembrar que ainda vivemos um momento de pandemia e as pessoas precisam continuar colaborando, usando máscaras e evitando aglomerações, até que a gente tenha uma vacina ou medicamento com eficácia comprovada”, disse Ayres.

“Nós temos dez regiões de saúde em Alagoas e, agora, as duas áreas mais atingidas inicialmente pela pandemia, a região Metropolitana de Maceió e a região Litorânea Norte, estão avançando de maneira gradativa para as fases seguintes. Outras regiões do estado ainda requerem atenção e não podemos nos acomodar nesse cenário de suposta tranquilidade. Precisamos continuar com a abertura de novos leitos”, destacou o secretário, afirmando que já são quase 120 dias de trabalho árduo para que a população alagoana tenha a assistência devida na rede pública hospitalar.

Alagoas tem atualmente 1.304 novos leitos, sendo 268 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 51 leitos intermediários com respirador e 985 leitos clínicos, com uma taxa de ocupação total de leitos de 39%, e de 64% de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Renan Filho enfatiza que a colaboração da população nos próximos dias será fundamental para que o estado continue avançado de fases. “Fizemos um esforço muito grande ao longo desses quase quatro meses. Essa ocupação já chegou a ser maior que 75% em outros momentos. Essa é a maior demonstração de que estamos internando menos pessoas e, consequentemente, apresentando redução nos números. Eu volto a dizer que nossa decisão é baseada na orientação das entidades científicas e técnicas, mas é fundamental que as pessoas continuem colaborando com as medidas de distanciamento social, higiene pessoal e uso de máscaras. Somente assim venceremos essa pandemia”, concluiu.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ALAGOAS  |  11/07/2020 - 22h