POLITICA

No 1º semestre, vereadores aprovam 560 Requerimentos e Indicações, em sua maioria, para o combate ao Coronavírus em Maceió



Com a maioria das iniciativas voltadas para o combate à covid-19, a Câmara Municipal de Maceió apreciou e aprovou 560 Requerimentos e Indicações no primeiro semestre deste ano legislativo. Só no dia 30 de junho, por exemplo, foram deliberadas 190 propostas da Casa. Por conta da pandemia, desde abril as sessões têm sido realizadas de forma virtual e o teletrabalho foi instituído por meio do Ato n° 1, editado pelo presidente da Mesa Diretora, vereador Kelmann Vieira (Podemos).
 
"Estamos vivendo um ano atípico em nossas vidas, todas as rotinas foram alteradas por conta da pandemia de covid-19, e na Câmara não foi diferente. Atendemos às recomendações sanitárias de isolamento social, e mantivemos as sessões e trabalhos legislativos de forma online, contribuindo com esse número significativo de aprovações de Requerimentos e Indicações, em sua maioria voltados para o combate ao Coronavírus. É nossa função trabalhar pelo povo, e não abrimos mão disso", declarou o presidente do Legislativo da capital.
 
Entre as Indicações e Requerimentos ao longo do primeiro semestre, destaque para iniciativas da vereadora Silvania Barbosa (PRTB) como a que pede ao Executivo que garanta, além dos profissionais de Saúde, a garis, guardadas municipais, assistentes sociais e coveiros testes rápidos contra covid-19.
 
Requerimento da vereadora Ana Hora (MDB) solicitou à Prefeitura de Maceió para ampliar o horário de atendimento das quatro Unidades Sentinelas de Maceió no Novo Mundo, Graciliano Ramos, Jacarecica e Santa Amélia para avaliação dos casos suspeitos de Coronavírus. 
 
Para o vereador Antônio Hollanda (MDB), importante medida do governo também para diminuir prejuízos da pandemia na população seria o parcelamento, em 12 vezes, do IPVA, cujo pagamento seria feito direto na folha de pagamento de servidores. 
 
Já Simone Andrade (DEM) entendeu que seria oportuno solicitar ao Executivo que adotasse as aulas não presenciais para os alunos da rede municipal de ensino como forma de, também, manter os alunos em atividade escolar, mesmo fora da sala de aula.
 
Como médica, por sua vez, a parlamentar Fátima Santiago (Progressistas) solicitou ao Executivo a realização de testes em massa da população para covid-19 com o intuito de avaliar melhor o cenário dos casos e poder agir de maneira mais dirigida e preventiva.
 
AGLOMERAÇÃO - Devido à intensa aglomeração nas portas das agências da Caixa Econômica Federal em Maceió para pagamento do auxílio emergencial, o líder do governo na Câmara, Samyr Malta (PTC), encaminhou matéria que pedia a extensão do pagamento do benefício às agências de demais bancos na capital.
 
Preocupado com a economia do município, o vereador Chico Filho (MDB) também teve iniciativa aprovada endereçada aos Executivos municipal e estadual que realizassem as compras de insumos para o combate à covid-19 nas empresas locais, como forma de mantê-las com as portas abertas.
 
ISENÇÃO - Na mesma linha de Chico Filho, Ib Breda (MDB) conseguiu aprovação de texto de sua autoria pedindo à Prefeitura de Maceió que promovesse a isenção do imposto do uso do solo a bares e restaurantes, fortemente atingidos pela pandemia e fechados desde março. 
 
Por fim, Siderlane Mendonça (PSB) pedi ao Executivo que disponibilizasse relatório informando sobre a distribuição de kits de merenda escolar.
 
"Como se pode se ver, a Câmara, por meio de seus vereadores, procurou contribuir com o Executivo e demais setores da sociedade para diminuir prejuízos econômicos e garantir a vida das pessoas. Estamos atentos ao que acontece em Maceió. Seguimos acompanhando as medidas tomadas pelas demais autoridades e prontos para atender de forma célebre, dando as respostas que forem possíveis, a partir das nossas atribuições", destacou Kelmann Vieira.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLITICA  |  17/06/2020 - 09h